Sua empresa já realizou um Teste de Phishing?

Estudos recentes apontam que 8 em cada 10 empresas brasileiras tiveram, ao menos, uma experiência de ataque de phishing por e-mail bem sucedido em 2022, e 23% sofreram perdas financeiras como resultado.
Tenho visto que muitas empresas investem muitos recursos em tecnologia mas muito pouco na conscientização de seus usuários.

O que é o phishing?

A palavra “phishing” vem do inglês e foi escolhida por causa da sua semelhança com o termo “fishing” que significa pescar, em português. Portanto, o phishing é a prática de “pescar” dados e informações pessoais ou confidenciais utilizando a internet.

O phishing é muito utilizado para roubar documentos, números e senhas de cartões, acessos a contas bancárias, telefones, acessar computadores e telefones, entre outros.

Assim, como o nome sugere, os bandidos utilizam de “iscas” para enganar as pessoas e conseguir as informações que desejam. Esta prática é ilegal no Brasil, sendo enquadrada dentro da Lei dos Crimes Cibernéticos.

O que é um Teste de Phishing?

O phishing pode ser prevenido, inclusive dentro das empresas. É fundamental que as instituições eduquem seus colaboradores quanto ao uso correto e seguro da internet. A maioria dos casos ocorre por desconhecimento do usuário que acaba se tornando uma vítima do golpe.
O processo de Teste e Simulação de Phishing é feito internamente ou por uma consultoria que tem ferramentas apropriadas para avaliar a maturidade dos usuários da empresa.

São realizadas campanhas de simulação e se coletam estatísticas da interação dos usuários com os conteúdos enviados. É uma proposta essencial para qualquer projeto de cybersegurança bem-sucedido e pode ser acompanhado de campanhas de conscientização e treinamentos.

Quais as vantagens de realizar um Teste de Phishing?

Realizar testes de phishing em uma organização oferece várias vantagens significativas em termos de conscientização, treinamento e fortalecimento da postura de segurança. Aqui estão algumas das principais vantagens de realizar testes de phishing:

  1. Conscientização: Os testes de phishing ajudam a aumentar a conscientização dos funcionários sobre os riscos associados aos ataques de phishing. Ao serem expostos a simulações realistas de phishing, os funcionários aprendem a identificar sinais de tentativas de phishing, como e-mails suspeitos, links maliciosos e solicitações de informações confidenciais.
  2. Educação e Treinamento: Os testes de phishing são uma forma eficaz de fornecer treinamento prático em segurança cibernética para os funcionários. Após um teste bem-sucedido de phishing, é possível oferecer treinamentos direcionados para ajudar os funcionários a entenderem as técnicas empregadas pelos golpistas e a adotarem melhores práticas para evitar cair em ataques reais.
  3. Identificação de Vulnerabilidades: Os testes de phishing revelam as áreas vulneráveis na postura de segurança de uma organização. Se os funcionários estão regularmente clicando em links maliciosos ou fornecendo informações confidenciais em respostas a e-mails fraudulentos, isso indica a necessidade de melhorar as políticas de segurança, treinamentos e controles internos.
  4. Avaliação da Efetividade das Medidas de Segurança: Ao conduzir testes de phishing, é possível avaliar a eficácia das medidas de segurança existentes, como filtros de spam, sistemas de detecção de malware e firewalls. Se os testes de phishing passarem pelas defesas e chegarem às caixas de entrada dos funcionários, isso indica a necessidade de aprimorar essas medidas de segurança.
  5. Melhoria Contínua: Os testes de phishing são uma parte importante de um ciclo de melhoria contínua da segurança cibernética. Com base nos resultados dos testes, a organização pode identificar áreas de fraqueza, implementar medidas corretivas, ajustar os treinamentos e repetir os testes regularmente para medir o progresso e garantir que a segurança seja mantida atualizada.
  6. Redução do Risco de Incidentes de Segurança: Ao aumentar a conscientização dos funcionários e fortalecer as defesas contra ataques de phishing, uma organização reduz significativamente o risco de incidentes de segurança causados por funcionários que caem em golpes de phishing. Isso pode levar a menos violações de dados, roubo de informações confidenciais e comprometimento de sistemas.

Em resumo, os testes de phishing desempenham um papel crucial na melhoria da conscientização dos funcionários, treinamento em segurança e fortalecimento das defesas de uma organização contra ataques de phishing. Ao identificar e mitigar as vulnerabilidades, a organização pode fortalecer sua postura de segurança cibernética e reduzir os riscos de violações e incidentes de segurança.

Ataques de phishing pode ser prevenido, inclusive dentro das empresas. É fundamental que as instituições eduquem seus colaboradores quanto ao uso correto e seguro da internet. A maioria dos casos ocorre por desconhecimento do usuário que acaba se tornando uma vítima do golpe.

Como deve ser conduzido um Teste de Phishing?

Seguindo a estrutura do MITRE ATT&CK®, algumas técnicas de Engenharia Social podem ser usadas no teste, por exemplo:

CAPTURA DE CREDENCIAIS: tenta coletar credenciais levando os usuários a um site de aparência bem conhecida com formulários para coletar um nome de usuário e uma senha.

ANEXAR MALWARE: adiciona um anexo mal-intencionado a uma mensagem. Quando o usuário abre o anexo, o código arbitrário é executado que ajuda o invasor a comprometer o dispositivo do destino.

LINK NO ANEXO: um tipo híbrido de captura de credencial. Se insere uma URL em um anexo de email. A URL dentro do anexo segue a mesma técnica que a captura de credencial.

LINK PARA MALWARE: executa algum código arbitrário de um arquivo hospedado em um serviço de compartilhamento de arquivos bem conhecido. A mensagem enviada ao usuário contém um link para este arquivo mal-intencionado. Abrir o arquivo ajuda o invasor a comprometer o dispositivo do destino.

URL DRIVE-BY: a URL mal-intencionada na mensagem leva o usuário a um site de aparência familiar que executa silenciosamente e/ou instala o código no dispositivo do usuário.

CONSENTIMENTO OAUTH: a URL mal-intencionada pede que os usuários concedam permissões aos dados para um Aplicativo Azure mal-intencionado.

 

Quer saber mais?

Fale conosco: https://www.netdeep.com.br/secure/contato/

Este artigo foi lido 302 vezes!

Deixe o seu comentário

netdeep